Dificuldade em guardar dinheiro? Veja nossas dicas sobre o assunto

Confira nossas dicas para que você possa se organizar e sempre ter um dinheiro para guardar no final do mês

Image for post
Image for post
Fonte: Freepik

Por Daniel Emidio

Dívidas acumuladas, lançamento do novo celular ou gastos emergenciais…. seja qual for a razão, você sente que existe algo que atrapalha o seu controle financeiro? E isso dificulta na árdua tarefa de guardar dinheiro? Pois saiba que você não está sozinho(a). Segundo uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), mais de 65% dos brasileiros não têm o hábito de guardar dinheiro.

Muitos brasileiros tiveram pouco acesso à educação financeira ao longo da vida, e como resultado, sentem dificuldades para lidar com o assunto. É aí que muitos sentem na pele o que que a expressão “falta mês no fim do dinheiro”. Pensando nessa situação, elaboramos algumas dicas que podem ajudá-lo(a) a controlar suas finanças. Confira:

Gastar mais ou equivalente ao que ganha

Pode parecer óbvio, mas uma das maiores armadilhas do seu bolso é gastar o equivalente ou mais do que seus ganhos. Se você ganha, por exemplo, R$ 1.000 e gasta o mesmo valor, não sobrará nenhum dinheiro para guardar ou para ser utilizado em uma eventual emergência. A dica aqui é estabelecer um teto de gastos, de modo que você tenha uma visão dos valores mensais a pagar e um percentual que você pode guardar por mês.

Para guardar dinheiro, cuidado com pequenos gastos

Pequenos gastos como a compra de um bombom, uma pizza no final de semana, mais uma garrafa de cerveja com os amigos, podem parecer insignificantes individualmente, mas quando se acumulam, se tornam uma bomba relógio pronta para explodir. Não estamos dizendo também que você não deve fazer nada disso.

Mas a dica aqui é: tenha um controle sobre os pequenos gastos, por menor que seja o valor. Se você não tem paciência para anotar cada compra, saiba que existem aplicativos disponíveis e gratuitos no mercado que podem auxiliá-lo no controle de suas contas, de modo que você tenha uma visão sobre os tipos de gastos.

Evite acumular dívidas no cartão

Outro hábito nocivo ao seu bolso é a quantidade de dívidas acumuladas em parcelas do cartão de crédito, como um celular parcelado em 10 vezes, mais um conjunto de roupas parcelado em mais 5 vezes, entre outros. E se não bastasse, ao terminar uma prestação, você entra em outra. Por mais cômodo que possa parecer, evite parcelar as suas compras, a não ser em extrema necessidade. Além de evitar dívidas que poderiam te acompanhar ao longo dos meses, na maioria das compras, pagando à vista, você ainda pode conseguir um bom desconto na sua compra.

Negocie suas dívidas

Ainda falando em dívidas, procure sempre negociar com o gerente do seu banco sobre os juros da sua conta, as prestações do seu financiamento (ou aluguel). Por menor que seja a economia mensal, ao longo do ano, os valores economizados sobre todas essas dívidas podem ser consideráveis. O ideal é que esse dinheiro que foi poupado seja aplicado a algum investimento que você possua. E saiba que todos os bancos são obrigados a oferecer uma conta básica gratuita a todos os brasileiros.

Todo banco tem a obrigação de oferecer este serviço, que conta com as seguintes facilidades:

- Fornecimento de cartão com função débito;

- Realização de até quatro saques, por mês;

- Realização de até duas transferências de recursos entre contas na própria instituição, por mês;

- Fornecimento de até dois extratos, por mês;

- Consultas pela internet;

- Fornecimento de até 10 folhas de cheques por mês.

Esse tipo de pacote resolve a vida de muita gente e não custa nada.

Além disso, muitos bancos digitais também oferecem cartão de crédito sem anuidade. Tudo bem que dificilmente você terá programas de milhagens, mas pelo menos, economiza uma bola bolada por ano que vai embora com essas tarifas.

Prepare uma reserva de emergência

Se você perdesse o seu emprego hoje, por quanto tempo você sobreviveria sem entrar qualquer dinheiro na sua conta? Se a resposta for “0” ou poucos dias, ou você nem consegue dar uma resposta de imediato, saiba que você está correndo um enorme risco. Infelizmente imprevistos podem acontecer, como um tratamento de saúde de um membro da família, o conserto de um carro, a manutenção da casa, entre outros. Com uma reserva de emergência, você poderá lidar com essas situações de forma muito menos sofrida.

Para montar uma reserva de emergência, calcule todos os seus gastos fixos mensais e multiplique pela quantidade de meses que você gostaria de pagar suas contas sem depender do seu emprego. O ideal é de pelo menos 3 a 6 meses.

Para construir uma reserva de emergência, procure separar mensalmente entre 10% a 30% do seu salário (de acordo com a sua realidade, claro) em algum um investimento de baixo risco que você possa retirá-lo sempre que precisar (alta liquidez). Caso precise utilizar o fundo por alguma razão, reaplique novamente os valores até atingir o valor estabelecido por você assim que conseguir.

Pesquise antes de comprar

Antes de fechar qualquer compra, sempre procure em sites semelhantes se esse mesmo produto não possui um preço mais atrativo em outras páginas. Mas ao realizar esse processo, tenha cuidado com páginas desconhecidas e não confiáveis. Se parecer bom demais para ser verdade, desconfie. Além da possibilidade de poupar o seu dinheiro, você evita uma enorme dor de cabeça. Para compras na loja física, tente barganhar um desconto maior, especialmente para pagamento à vista.

Leve uma lista ao supermercado

Muitas vezes somos tomados por impulsos, compramos no supermercado coisas que não necessitamos com o dinheiro que não possuímos (ou vai nos fazer falta para outra despesa importante), ainda mais quando fazemos as compras com fome (um dos motivos que balas e salgadinhos ficam próximos da fila do caixa). Para evitar de cair nessa armadilha, sempre leve nas compras uma lista daquilo que você irá levar do supermercado. Isso evita que você coloque no carrinho itens desnecessários ou em excesso.

Estude educação financeira

A melhor dica para o seu bolso! Atualmente, existem diversos cursos na internet e conteúdo em nossa página do Ação Jovem que podem auxiliá-lo a controlar cada vez mais o seu dinheiro. Quanto mais você estuda sobre o assunto, maior será sua facilidade de lidar com seu orçamento doméstico.

Por fim, mesmo que lidar com o próprio orçamento pareça o desafio, com um bom planejamento você poderá administrar melhor o seu dinheiro. Estabeleça uma meta e trabalhe para que ela seja cumprida. Ao conseguir guardar dinheiro, além de fechar a conta no azul no final do mês, isso permitirá enfrentar situações emergenciais, a compra da casa própria, a viagem dos seus sonhos, um intercâmbio fora do país, entre outras possibilidades. Se você deseja acompanhar mais dicas sobre educação financeira, acompanhe nossa página para receber novos conteúdos.

Written by

O Ação Jovem do Mercado Financeiro e de Capitais (AJ) é uma associação sem fins lucrativos que visa aproximar os brasileiros do mercado financeiro - www.ajmc.br

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store