As certificações mais requisitadas do mercado financeiro

CPA, CEA, CNPI e outras: você sabe o que cada uma significa?

Por Yasmim Tavares

As oportunidades de carreira no mercado financeiro crescem à medida que os brasileiros passam a ter mais acesso à educação financeira e aos produtos de investimentos. Em paralelo, a demanda por profissionais altamente qualificados ganha força.

Na busca por uma especialização na área, muitos estudantes e profissionais dedicam uma boa parte do tempo para se empenhar nos estudos e, assim, garantir a tão esperada certificação do mercado financeiro.

Existem variadas qualificações que funcionam quase como um requisito para atuar em segmentos específicos do mercado. Além de englobarem uma gama diversa de conteúdos sobre o tema, as certificações dão ao profissional as habilidades necessárias para se destacar na carreira a ser seguida.

Veja, a seguir, quais são alguns dos principais “títulos” tão prestigiados e, ao mesmo tempo, exigidos pelas empresas do ramo financeiro:

Certificação Profissional ANBIMA — Série 10 (CPA-10)

A prova para obter a CPA-10 é a mais comum e, também, a mais realizada pelos profissionais da área financeira. De maneira geral, ela tem como objetivo avaliar os conhecimentos sobre assuntos do mercado financeiro do candidato.

Tal certificação é voltada para os profissionais que têm interesse, ou já atuam, na venda e distribuição de investimentos para investidores pessoa física e jurídica.

Realizada pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA), a avaliação tem duração de duas horas e conta com 50 questões objetivas, sendo necessário, no mínimo, 70% de acerto para obter o certificado.

Certificação Profissional ANBIMA — Série 20 (CPA-20)

Apesar da Certificação Profissional ANBIMA — Série 20 atestar o profissional para exercer as mesmas funções daqueles que detém a CPA-10, ela é superior a esta última, pois capacita o candidato para lidar com investidores de alta renda.

Diferente da CPA-10, o tempo do exame para obter a CPA-20 é de duas horas e meia e contempla 60 questões objetivas. Por outro lado, assim como no caso da CPA-10, o candidato precisa acertar, pelo menos, 70% da prova.

Certificação de Especialista em Investimentos ANBIMA (CEA)

Também realizada pela ANBIMA, a CEA é para os profissionais que têm interesse em assessorar gerentes de contas de investidores, e não o público em geral. Além disso, quem é aprovado neste exame tem o direito de indicar produtos financeiros.

O teste para adquirir a CEA tem duração de três horas e 30 minutos e conta com 70 questões das quais é preciso acertar, no mínimo, 70% delas.

Certificação de Gestores da ANBIMA (CGA)

A CGA, como o próprio nome já sugere, é recomendada para quem deseja se tornar gestor de investimentos. Os profissionais que detém a CGA têm a liberdade de gerenciar um portfólio e alocar o dinheiro onde preferir, de acordo com os seus conhecimentos técnicos. Basicamente, esta certificação possibilita o profissional de administrar recursos de outras pessoas.

A avaliação para a CGA exige um conhecimento técnico do mercado financeiro mais avançado. Se comparada com as outras certificações da ANBIMA mencionadas anteriormente, ela é a mais difícil e extensa, com dois módulos contendo 60 questões cada um. No total, o candidato tem seis horas para realizar o exame, sendo metade desse tempo, ou seja, três horas, para cada módulo. O mínimo de acerto para a Certificação de Gestores da ANBIMA também é de 70%.

ANCORD

A prova da ANCORD tem como objetivo atestar a capacidade do profissional para atuar como Agente Autônomo de Investimentos (AAI), também chamado de assessor de investimentos.

Para obter esta certificação, o candidato se submete a uma avaliação com 80 questões objetivas e com duração de duas horas e 30 minutos.

Certificação Nacional do Profissional de Investimentos (CNPI)

A CNPI, emitida pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (APIMEC), é obrigatória para qualquer pessoa que queira exercer a função de especialista em análises e emissão de relatórios.

A certificação é dividida em três categorias:

- CNPI: voltada para o participante que tenha interesse em se tornar analista fundamentalista;

- CNPI-T: realizada pelo candidato que deseja ser analista técnico;

- CNPI-P: para quem quer assumir as duas funções — fundamentalista e técnico.

A avaliação da CNPI é formada por três etapas, na qual cada uma tem 60 questões e duração de duas horas. Confira quais são os tópicos de cada parte:

- Conteúdo brasileiro: fase comum para o analista fundamentalista, técnico e pleno;

- Conteúdo global 1: fase para o analista fundamentalista;

- Conteúdo técnico 1: fase para o analista técnico.

Certified Financial Planner (CFP)

O CFP, emitido pela Associação Brasileira de Planejadores Financeiros, dá ao profissional o direito de atuar como consultor financeiro. Para garantir o certificado, o candidato deve dominar conhecimentos além de investimentos, como planejamento, seguridade, questões sucessórias e gerenciamento de riscos.

Dessa forma, ele pode avaliar as estratégias que mais se adequam ao perfil e objetivos de cada cliente, sempre levando em consideração os riscos envolvidos em cada ativo.

Para garantir a certificação, o profissional precisa ter, pelo menos, três anos de experiência na área de atendimento ao cliente pessoa física em planejamento financeiro, podendo ser no segmento de investimentos, seguros, aposentadoria, entre outros.

Além desse requisito, há uma prova, com duração de sete horas e cinco minutos, que é dividida em seis módulos:

- Planejamento financeiro e ética;

- Gestão de investimentos;

- Planejamento da aposentadoria;

- Gestão de riscos e seguros;

- Planejamento fiscal;

- Planejamento sucessório.

Chartered Financial Analist (CFA)

A CFA, emitida pelo CFA Institute, é a certificação mais influente e, também, difícil, do mercado financeiro do mundo. Isso mesmo, não é só no Brasil.

A prova para obter a CFA é em inglês e composta por três categorias: níveis I, II e III. Cada uma tem duração de seis horas e, para ser aprovado, além de passar nas três etapas, é preciso ter, no mínimo, três anos de atuação no mercado financeiro.

Retorno dos exames de certificação da ANBIMA:

As provas serão retomadas a partir do dia 23 de julho, em centros de cidades que não tenham restrições de autoridades locais durante a pandemia. Para saber mais informações, basta clicar aqui.

Agora que você já entendeu quais as certificações e as provas necessárias para obtê-las, é hora de decidir por uma e começar a estudar. Há diversos cursos e materiais na internet sobre o conteúdo que as provas abrange e é preciso dedicação para se preparar. Boa prova!

O Ação Jovem do Mercado Financeiro e de Capitais (AJ) é uma associação sem fins lucrativos que visa aproximar os brasileiros do mercado financeiro - www.ajmc.br

O Ação Jovem do Mercado Financeiro e de Capitais (AJ) é uma associação sem fins lucrativos que visa aproximar os brasileiros do mercado financeiro - www.ajmc.br